Posts

Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva ocular, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras, podendo acometer os dois olhos. A duração da conjuntivite dependente da causa e não costuma deixar sequelas. Pode ser ocasionada por fatores alérgicos, irritativos ou infecciosos e cada um deles necessita de tratamento específico. O olho torna-se vermelho, inchado, lacrimejante, com sensação de corpo estranho e às vezes com secreção.

Infecciosa

A conjuntivite infecciosa é transmitida mais frequentemente por vírus, mas também pode ser causada por fungos ou bactérias e tende a ser contagiosa. O contágio se dá, nesse caso, pelo contato. Assim, estar em ambientes fechados com pessoas contaminadas, uso de objetos contaminados, contato direto com pessoas infectadas ou até mesmo pela água da piscina são formas de se contrair a conjuntivite infecciosa. Quando ocorre uma epidemia de conjuntivite, pode-se dizer que é do tipo infecciosa.

O tipo mais comum de conjuntivite infecciosa √© a viral, sendo geralmente causada por um adenovirus. √Č muito comum em escolas, local de trabalho, consult√≥rios m√©dicos, ou seja, todo local fechado com contato √≠ntimo entre pessoas. O diagn√≥stico √© realizado pelas caracter√≠sticas cl√≠nicas. O tratamento consiste na utiliza√ß√£o de compressas geladas sobre as p√°lpebras, anti-inflamat√≥rios e l√°grimas artificiais¬†t√≥picas. A propaga√ß√£o do v√≠rus dura at√© 14 dias ap√≥s o in√≠cio dos sintomas.

A conjuntivite bacteriana caracteriza-se por ser purulenta. Este tipo é tratada com antibióticos tópicos. Um tipo específico de conjuntivite bacteriana, chamada de conjuntivite gonocócica, é causada por Neisseria gonorrhoeae que é uma bactéria sexualmente transmissível. Pode ser transmitida na hora do parto, mas a contaminação do recém-nascido é rara devido à aplicação de uma gota de nitrato de prata 1% no saco conjuntival ao nascimento. A conjuntivite de inclusão é causada por Clamydia trachomatis, sorotipo D-K, pertencente ao trato genital dos adultos. Possui uma duração maior e acomete geralmente jovens sexualmente ativos.

A conjuntivite f√ļngica √© a mais rara. Geralmente acontece quando uma pessoa se acidenta com madeira nos olhos ou √© usu√°ria de lentes de contato.

Alérgica

A conjuntivite al√©rgica √© aquela que ocorre em pessoas predispostas a alergias¬†(rinite, asma, dermatite ou bronquite) e geralmente ocorre nos dois olhos. Esse tipo de conjuntivite n√£o √© contagiosa, apesar de poder come√ßar em um olho e depois se apresentar no outro. ¬†Caracteriza-se por coceira e edema. Pode ter per√≠odos de melhoras e reincid√™ncias, sendo importante a descoberta da causa da conjuntivite al√©rgica. O al√©rgeno mais comum √© o p√≥len. √Č tratada com col√≠rios anti-al√©rgicos e compressas geladas.

Tóxica

A conjuntivite tóxica é causada por contato direto com algum agente tóxico, que pode ser algum colírio medicamentoso ou alguns produtos de limpeza, fumaça de cigarro e poluentes industriais. Alguns outros irritantes capazes de causar conjuntivite tóxica são poluição do ar, sabão, sabonetes, spray, maquiagens, cloro e tintas para cabelo. A pessoa com conjuntivite tóxica deve se afastar do agente causador e lavar os olhos com água abundante. Se a causa for medicamentosa é necessária a suspensão do uso, sempre seguindo uma orientação médica.

Medidas de prevenção e controle

Lavar as m√£os frequentemente, evitar aglomera√ß√Ķes, evitar piscinas, lavar com frequ√™ncia o rosto e as m√£os, n√£o co√ßar os olhos, trocar diariamente toalhas de rosto e roupa de cama, n√£o compartilhar o uso de r√≠mel/delineadores ou de qualquer outro produto de beleza, evitar contato direto com outras pessoas, n√£o ficar em ambientes onde h√° beb√™s, n√£o usar lentes de contato durante esse per√≠odo, evitar banhos de sol, evitar luz – ela pode fazer com que o olho contaminado venha a doer mais.

Tratamento

Para melhor diagnosticar a causa da conjuntivite √©¬† aconselh√°vel a ida a um oftalmologista, ele poder√° descobrir qual o agente causador da conjuntivite e prescrever o col√≠rio corretamente. N√£o deve ser tocado com a superf√≠cie das embalagens no olho ou p√°lpebra quando da aplica√ß√£o dos col√≠rios, para evitar a contamina√ß√£o das solu√ß√Ķes.

√Č utilizada gaze com √°gua filtrada gelada para limpar a secre√ß√£o que se forma no olho, assim como compressas geladas sobre as p√°lpebras. √Āgua boricada¬†n√£o √© mais indicada pelos m√©dicos para esse tipo de tratamento.

 

Alergia Ocular

Entendendo o que é alergia

√Č uma resposta exagerada do sistema imunol√≥gico a uma subst√Ęncia considerada estranha ao organismo. Qualquer pessoa pode ter alergia, mas o fator principal √© a predisposi√ß√£o gen√©tica.

As pessoas com predisposição genética à alergia são chamados atópicos, elas reagem de maneira exagerada a fatores que normalmente pessoas que não não tem essa predisposição sequer percebem.

Alergia Ocular

A alergia pode se manifestar em vários locais do organismo, na pele, no nariz e principalmente nos olhos. Nos olhos, em especial, ocasiona prurido (chamado popularmente de coceira), lacrimejamento, aversão à luz, inchaço nas pálpebras ou na conjuntiva. O ato de coçar os olhos com frequência pode predispor ao aparecimento de outras doenças, como deformidades corneanas (ceratocone), alteração na visão/grau, predispor ao descolamento de retina, dentre outros.

O tratamento correto prescrito pelo oftalmologista envolve col√≠rios antial√©rgicos e/ou pomadas espec√≠ficas. √Äs vezes √© necess√°rio o tratamento sist√™mico com medica√ß√Ķes via oral e o acompanhamento conjunto de um m√©dico alergista/imunologista nos casos mais severos.

Caso apresente qualquer sintoma de alergia, o melhor a fazer é procurar um médico o mais breve possível e tratar a condição da forma correta.

Blefarite

Blefarite √© uma inflama√ß√£o¬†cr√īnica e n√£o contagiosa das p√°lpebras. √Č normalmente caracterizada pela produ√ß√£o excessiva de uma camada l√≠pidica (√≥leo), ¬†gerada por uma gl√Ęndula¬†encontrada na p√°lpebra, criando uma condi√ß√£o favor√°vel para o crescimento bacteriano. As p√°lpebras ficam cobertas por detritos oleosos (caspas) e bact√©rias¬†em torno da base dos c√≠lios, podendo levar √† perda destes.

Sintomas: coceira, irritação ocular, sensação de corpo estranho, lacrimejamento. Muitas vezes estes sintomas podem ser confundidos com conjuntivite, e durarem longos períodos sem melhora.

O tratamento consiste em pomadas de antibióticos e anti-inflamatórios nas crises, compressas mornas, higiene dos cílios com xampu neutro diariamente e mudança dos hábitos alimentares com diminuição da ingestão de gorduras.

Um oftalmologista pode fazer o diagnóstico preciso desta condição e indicar o melhor tratamento!