Posts

Crosslinking da Córnea

O crosslinking é um tratamento que está sendo amplamente divulgado nos últimos tempos. É utilizado no tratamento do ceratocone e das doenças ectásicas da córnea, com a finalidade de remodelamento corneano, visando a não progressão destas doenças.

É um tratamento pouco invasivo, realizado por médico oftalmologista especializado. Consiste na instilação de colírio de riboflavina (vitamina B) e da combinação de radiações especiais na córnea, com a finalidade de entrelaçamento das fibras de colágeno e aumento da resistência corneana.

Existem critérios para sua indicação e um acompanhamento rigoroso deve ser realizado antes e após o procedimento. O IPB dispõe deste moderno tratamento e de outros, para solução de ordem terapêutica destas doenças.

Consulte nossos oftalmologistas especializados do corpo clínico. Sua saúde merece prioridade!

IPB e atividades voluntárias às comunidades

Durante todo o ano os residentes e médicos do IPB estiveram envolvidos nas mais diversas atividades voluntárias relacionadas à visão.

A primeira delas foi o Barco da Saúde, caravana organizada pela Faculdade São Leopoldo Mandic, Fundação Dr. João Penido Burnier e ONG OneSight, em comunidades ribeirinhas da Amazônia. Foram mais de dois mil duzentos e vinte e sete atendimentos realizados nas áreas de oftalmologia, clínica geral, dermatologia, pediatria e ginecologia e obstetrícia durante o período de atividade.

Nossos residentes foram acompanhados por dois médicos orientadores/professores, Dr. Lucas Quagliato e Dra. Natália Rodrigues. Foram vários dias isolados de comunicação no interior do Brasil, realizando avaliações oftalmológicas aos mais necessitados.

Ainda, nossos residentes também participaram de atividades no Hospital de Amor, em Campinas, mais uma vez trabalhando em parceria com a ONG OneSight, no atendimento à população e no fornecimento gratuito de óculos.

Já no mês de outubro, quase todo o corpo clínico do IPB esteve envolvido nas atividades do “Outubro Brilhante”, projeto da Prefeitura Municipal de Campinas com todos os grandes serviços de oftalmologia e ensino da cidade, ópticas de referência e Associação dos Oftalmologistas de Campinas e região. O Projeto consistiu em zerar a fila de espera por consultas oftalmológicas de crianças em idade escolar, fornecendo consultas gratuitas e distribuição de óculos também gratuitamente a todos que necessitaram de tal correção.

As atividades voluntárias e comunitárias sempre estiveram presentes na jornada do IPB, e permanecem vivas através do atual corpo clínico do hospital.

IPB destaque nas competições

Mais notícias excelentes de nossos residentes e fellows!

Durante o 62o Congresso Brasileiro de Oftalmologia deste ano, realizado em Maceió, IPB/Fundação Dr. João Penido Burnier fez sua primeira participação nas competições/gincanas realizadas entre os serviços de residência de todo o Brasil. A Copa Interoftalmo é uma competição que mescla conhecimentos gerais, da atualidade e da oftalmologia, além de testar o espírito de equipe, raciocínio rápido e velocidade de ação dos participantes.

Nossa equipe deu um show! Embalados pelo slogan “Aqui é Penido!” e comandada pelo Dr. Guilherme Dias, Dra. Mariana Botelho e Dr. Thiago Figueiredo arrasaram nas respostas e na empolgação, ficando entre os 10 primeiros colocados (9o lugar) já na sua estreia na competição. Todos os residentes estiveram presentes apoiando e incentivando seus representantes, num misto de co-responsabilidade, amizade e companheirismo, valores que a Fundação também preza durante a formação dos novos profissionais. Nossa equipe Pé-na-Areia foi só elogios!

No mês seguinte ocorreu uma competição semelhante durante o Simpósio Internacional do Banco de Olhos de Sorocaba (o SINBOS). Neste ano os temas abordados no simpósio foram úvea, retina e tumores oculares.

O IPB também se fez representar na competição, e mais uma vez foi destaque com o 2o lugar, na sua estreia também nesta saudável disputa. A segunda posição no pódio foi do nosso fellow de retina, Dr. Felipe Bugalho.

Dr. Felipe se destacou pelos profundos conhecimentos de assuntos atuais e de patologias vítreo-retinianas. Ele também contou com o apoio de seus colegas do departamento de retina e vítreo.

O IPB e a Fundação Dr. João Penido Burnier estão orgulhosos do desempenho de seus jovens médicos!

Convênio IPB – McGill University

Pela primeira vez na história do curso de especialização em oftalmologia do IPB os residentes estão tendo a oportunidade de realizar estágio curricular no Henry C. Witelson Ocular Pathology Laboratory (McGill University), em Montreal/Canadá. A oportunidade surge através de um convênio, firmado com o Prof. Dr. Miguel Burnier Jr., diretor do laboratório e do centro de pesquisas em saúde, além de ser prof. titular de Oftalmologia, Patologia e Oncologia Ocular.

Durante todo o ano nossos residentes do último ano de especialização cursam parte de sua grade de oftalmologia patológica nas dependências do laboratório e ambulatórios canadenses.

Dra. Mariana Botelho nos descreve a experiência: “A possibilidade de extender nosso currículo e nossos conhecimentos com a ida ao Laboratório foi uma oportunidade inesquecível. Dr. Miguel é um renomado chefe que guarda grande apreço pelo Instituto. É incrível o modo como ele dirige o Laboratório e a equipe humana e brilhante que o cerca. Essa experiência nos incentiva cada vez mais na área científica e de pesquisa, despertando um interesse muito intenso em fazer diferença no meio das inovações e descobertas da oftalmologia. E o melhor de tudo é poder carregar o nome do nosso amado instituto conosco.”

Além do curso regular, ainda estão tendo a oportunidade de participar das inúmeras pesquisas científicas realizadas pela equipe do renomado laboratório, o maior em patologia ocular do mundo, e de apresentar seus trabalhos nos maiores e mais badalados congressos mundiais de oftalmologia, como a ARVO e a AAO (Academia Americana de Oftalmologia).

Pesquisas desenvolvidas pela Dra. Mariana em conjunto com o laboratório:

  • TOPOGRAPHIC DISTRIBUTION OF CARUNCLE TUMORS: A 12 YEAR STUDY;
  • CLINICOPATHOLOGICAL ANALYSIS OF MELANOCYTIC EYE TUMORS: A 12 YEAR REVIEW;
  • EPIDEMIOLOGICAL AND HISTOPATHOLOGICAL STUDY OF OCULAR VASCULAR AND PERIVASCULAR TUMORS: A 12 YEAR REVIEW;
  • HEMANGIOPERICYTOMA OF THE ORBIT: CASE SERIES.

Dra. Andreise Paro, por sua vez,  está desenvolvendo o trabalho HISTOPATHOLOGICAL ANALYSIS OF PATIENTS WITH MELANOCYTIC LESIONS OF THE CONJUNCTIVA: A 10-YEAR REVIEW.

O convênio entre o IPB e a McGill ainda está propiciando a capacitação de outros médicos do hospital a nível de pós-graduação.

O IPB e a Fundação Dr. João Penido Burnier (em especial sua Diretora Dra. Elvira Abreu) agradecem a generosidade da McGill e do Prof. Burnier em receber nossos profissionais para aperfeiçoamento e por acreditar no potencial de cada um deles.

Moscas Volantes

As imagens tipo moscas volantes, cobrinhas e sombras que muitos pacientes enxergam se devem ao evento de descolamento do vítreo posterior.

O vítreo é uma espécie de gelatina transparente que preenche a parte posterior do olho, estando envolto e firmemente aderido à retina. Devido ao envelhecimento e algumas outras causas, essa gelatina pode se desprender da parede interna do olho e da retina sem causar, obrigatoriamente, danos à visão. Esse fenômeno é chamado de descolamento posterior do vítreo (“descolamento da gelatina do olho”).

O descolamento dessa gelatina e seus sinais são muito comuns e nem sempre estão relacionados ao descolamento de retina. No entanto, em alguns casos e na presença de fatores de risco, esse processo pode rasgar a retina em um ou mais pontos de maior aderência. Os sinais de alerta são: percepção de pontos negros na visão que se movimentam com a posição do olhar, embaçamento visual e por vezes flashes luminosos.

Esses pontos escuros são denominados moscas volantes e podem ter outras formas, como fio de cabelo e teia de aranha. Esses sintomas são comuns na população em geral e, principalmente, em pessoas com miopia e operadas de catarata.

Essas alterações geralmente são benignas e ocorrem com frequência e podem resultar da separação do vítreo da retina sem demais complicações. Porém, em alguns casos, ocorre a formação de um rasgo na retina, como anteriormente mencionado, se esta ainda estiver colada, o tratamento com aplicação de laser na área do rasgo deverá ser feita mais precocemente possível para se evitar maiores danos.

Caso qualquer uma destas alterações surja em seus olhos, procure imediatamente um oftalmologista.

Descolamento de Retina

A retina é uma fina camada contendo células nervosas que recobre internamente a cavidade posterior do olho. É responsável pela percepção e formação da imagem, fornecendo dados que são enviados para o cérebro, onde serão traduzidos. Assim, a retina é uma parte importante do olho para a visão.

O descolamento de retina geralmente ocorre após os 45 anos e afeta apenas um olho. Dentre os fatores de risco relacionados estão: história de deslocamento de retina na família, glaucoma e cirurgias oculares prévias. Pessoas com altos graus de miopia apresentam alterações retinianas que predispõe ao maior risco de descolamento de retina precoce. Acidentes que resultem em ferimento, impacto ou batida forte no olho, na face ou na cabeça podem provocar o deslocamento de retina, assim como o diabetes e inflamações oculares graves.

Os sinais de alerta são: visão embaçada, áreas enegrecidas ou flashes de luz/relâmpagos. Luzes ou flashes podem ser os sintomas iniciais do descolamento da retina e ocorrem devido à estimulação da retina que é interpretada pelo cérebro como sinais de luz. Esse sintoma é muito importante e a sua ocorrência exige um exame com o OFTALMOLOGISTA o mais breve possível.

 

Quando o descolamento de retina não é corrigido, quase todos os casos progridem até uma perda total da visão, cegueira irreversível e atrofia ocular. A correção de um descolamento de retina com a cirurgia é bem sucedido em aproximadamente 80% dos casos, embora mais de um procedimento possa ser necessário. Uma vez que a retina é novamente colada, a visão geralmente melhora e estabiliza. No entanto, essa recuperação pode demorar diversos meses antes que a visão retorne a seu nível definitivo.

Atualmente, existem diversas técnicas para cirurgia do descolamento de retina. Ressalta-se que em cerca de 5% dos casos de descolamento de retina num olho, que não seja causado por trauma, a doença afeta o outro olho. Assim, o segundo olho de um paciente com um descolamento de retina deve ser examinado minuciosamente e seguido com atenção.

O descolamento de retina é uma doença extremamente grave, com risco de perda total da visão e que sua a suspeita exige uma avaliação com um OFTALMOLOGISTA o mais rápido possível.

Congresso IPB 2018

Na data de 09 de junho de 2018 ocorreu o Congresso do Instituto Penido Burnier 2018, celebrando seu 98o. aniversário de fundação. Foi um dia todo dedicado a discussões de casos clínicos desafiadores, com autoridades nacionais e internacionais. Oportunidade única para rever os amigos, confraternizar e aprender.

Este ano o Congresso foi marcado por duas homenagens: uma ao Prof. Cleber Godinho, que tanto se dedicou ao ensino de lentes de contato no país, e ao Prof. Dr. Milton Toledo Filho, homenagem esta idealizada pela equipe de retina e vítreo, fellows e residentes do hospital.

O IPB se orgulha de manter a tradição e conseguir reunir anualmente vários ex-alunos e colegas.

IPB no Congresso Brasileiro Retina e Vítreo 2018

Em busca da excelência e do aprimoramento técnico e científico vários médicos do IPB e da Fundação Dr. João Penido Burnier estiveram participando do Congresso Brasileiro da Sociedade de Retina e Vítreo, realizado em Foz do Iguaçu, de 12 a 14 de abril de 2018.

Dr. Márcio Augusto Nogueira Costa esteve presente nas mesas redondas de discussão de casos de oncologia ocular e ultrassonografia e coordenando juntamente com Dra. Fernanda Nonato, a apresentação dos pôsteres de nossos fellows e residentes. Vários médicos do corpo clínico do hospital também estiveram presentes, aproveitando esta oportunidade para rever os ex-alunos e ex-fellows desta instituição, aprender ainda mais e confraternizar.

Os pôsteres apresentados foram os seguintes:

  • Choroidal hemangioma – a case report and literature review
  • Panvuveitis secondary to syphilis: a case report
  • Papilledema secondary to cerebral tuberculosis: a case report and literature review
  • Difuse unilateral subacute neurorretinitis (DUSN): case report
  • Posterior scleritis simulating choroid tumor: case report

O IPB busca sempre se renovar e destacar na grade de eventos nacional!

Ceratocone

O ceratocone é uma doença da córnea (parte transparente anterior do olho) de causa ainda discutida, que acomete adolescentes e adultos jovens. Tem associação frequente com alergia e a coceira ocular pode ser o gatilho que inicia a doença.

É caracterizado pelo aumento progressivo e irreversível da curvatura da córnea, bem como pela diminuição de sua espessura. Em outras palavras, a córnea torna-se “pontuda” e “fina”.

Quais os sintomas?

No início da doença são: desconforto visual, dor de cabeça, sensibilidade à luz, baixa da visão (principalmente noturna) e troca frequente das lentes dos óculos, em virtude do aumento da miopia e principalmente do astigmatismo.

No início o uso de óculos ou lentes de contato é capaz de oferecer uma boa visão ao paciente.

Com a contínua progressão do ceratocone, o astigmatismo aumenta bastante (gerando uma imagem borrada e distorcida), e os óculos passam a não mais oferecer uma visão satisfatória.  Neste estágio somente as lentes de contato (do tipo rígidas) são capazes de melhorar a visão, caso o ceratocone progrida, alternativas cirúrgicas devem ser consideradas (crosslinking, anel intraestromal e transplante de córnea).

 Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado através de exame oftalmológico e pode ser confirmado através da Topografia ou Tomografia Corneana Computadorizada. Esses exames fazem uma análise das superfícies da córnea e expressam as informações através de um gráfico numérico e de cores. Com isto, além de auxiliar muito no diagnóstico, podemos acompanhar a evolução, forma, posição e tamanho do ceratocone.

Por fim, ressaltamos a importância de um acompanhamento com seu médico, para um diagnóstico precoce e escolha do melhor método terapêutico. O ceratocone é uma patologia frequente e na maioria dos casos é possível se obter uma boa visão com o uso de lentes de contato, que devem ser adaptadas exclusivamente pelo seu oftalmologista.

A vida é melhor sem óculos

Através da cirurgia a laser é possível a correção dos problemas de refração e uma vida praticamente independente de óculos.

Com o avanço da medicina, já é possível dizer que os óculos são antiquados e as lentes de contato, trabalhosas e custosas. Quem possui algum tipo de “grau” sempre sonhou em acordar pela manhã enxergando sem precisar tatear à sua volta, procurando por seus óculos. Praticar esportes, vida social, festas, trabalhos e muitas outras situações ficariam melhores se houvesse a independência dos óculos ou lentes de contato.

E é por meio da cirurgia a laser, para a correção de miopia, astigmatismo e hipermetropia ou pela cirurgia com o ultra-som para o implante de lentes intra-oculares, que tudo isto tornou-se possível.

A visão de volta aos jovens e adultos

A miopia, o astigmatismo e a hipermetropia podem ser corrigidos isoladamente ou quando combinados, através da cirurgia refrativa, desde que o grau esteja estabilizado e o exame oftalmológico completo não mostre nenhuma alteração. Portanto, um cuidadoso exame deve ser realizado e as devidas orientações e dúvidas esclarecidas, avaliando se o candidato está ou não apto para ser operado.

A cirurgia a laser consiste em esculpir e modelar a curvatura da córnea com a tecnologia do laser, chamado Excimer Laser. Os aparelhos de última geração executam a cirurgia com previsibilidade e segurança, assim a estabilidade cirúrgica tornou-se mais alta, mas sempre a confiança e experiência do cirurgião se fazem absolutas.